Plataforma digital de comunicação multimédia para a promoção e divulgação do concelho de Alijó. Espaço cívico de debate, de informação, de opinião plural e de defesa dos interesses concelhios.

Alijó assume presidência da Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua

Para José Paredes, o objectivo imediato é "garantir que o processo continue a decorrer a bom ritmo de forma a assegurar que todas as contrapartidas exigidas pela construção da barragem são implementadas no território", disse o autarca citado pela Lusa.

0 1.274

O presidente da Câmara de Alijó, José Paredes, assumiu a presidência da Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua com o principal desafio de fazer andar o plano de mobilidade e o regresso do comboio, noticiou a Agência Lusa.

Formada pelos concelhos Alijó, Murça Mirandela, Vila Flor e Carrazeda de Ansiães, esta agência de desenvolvimento local é responsável por projetos considerados estruturantes para o desenvolvimento destes cinco concelhos como, por exemplo, o Plano de Mobilidade Turística e Quotidiana, que está num impasse há algum tempo.

O Plano de Mobilidade surgiu como a principal contrapartida da EDP no processo de EIA que estabeleceu as regras e as condicionantes para a execução deste projecto hidroeléctrico.

A presidência da agência é rotativa e chegou agora a vez do autarca de Alijó assumir os destinos desta estrutura nos próximos anos.

Para José Paredes, o objectivo imediato é “garantir que o processo continue a decorrer a bom ritmo de forma a assegurar que todas as contrapartidas exigidas pela construção da barragem são implementadas no território”, disse o autarca citado pela Lusa.

“A agência tem sido um exemplo de união para a região e para o país, um projeto que exige da liderança uma visão não concelhia mas territorial, neste momento a minha missão é defender os interesses das populações dos cinco municípios que integram o Vale do Tua”, considerou.

O Plano de Mobilidade contempla a exploração turística da nova albufeira que resultou da construção da barragem, o regresso do comboio à Linha do Tua, e a mobilidade quotidiana das populações ribeirinhas.

Comentários
Loading...