Plataforma digital de comunicação multimédia para a promoção e divulgação do concelho de Alijó. Espaço cívico de debate, de informação, de opinião plural e de defesa dos interesses concelhios.

Concursos municipais

Para estas centenas de pessoas descartadas (maioria jovens) o BE manifesta total solidariedade e consideração, direccionando uma palavra de conforto para cada uma delas e para as suas famílias

0 1.163
Jorge Carvalho

Candidato autárquico pelo Bloco de Esquerda no concelho de Alijó

+ artigos

É de conhecimento público que a Autarquia é o maior empregador do nosso Concelho, sendo entre outros factores a instituição que mais influencia a vida das famílias e do tecido económico, quer financeiramente quer socialmente.

Andamos desde o 25 de Abril entre o bipartidarismo do PS e PSD – CDS, ou seja, sujeitos à autoridade do cacique distribuídos entre os chamados partidos do “arco da governação”. Uma grande parte das pessoas sujeita-se a isto, observando e aceitando com normalidade.

Nesse sentido, utilizando o facto de terem entrado para o Quadro do Município 35 novos funcionários no último mês, sem colocar em causa a transparência dos concursos e menos ainda das capacidades de qualquer um dos novos colaboradores, aproveitamos para os felicitar desejando-lhes votos das maiores felicidades.

Simultaneamente, deixar uma palavra de encorajamento a todos os outros candidatos que prestaram provas com toda a honestidade, acreditando na transparência do processo, assentes exclusivamente nas suas capacidades e carregados de expectativas de uma nova vida, mas que infelizmente ficaram de fora.

Para estas centenas de pessoas descartadas (maioria jovens) o BE manifesta total solidariedade e consideração, direccionando uma palavra de conforto para cada uma delas e para as suas famílias, designadamente as mais desfavorecidas e/ou desempregadas, no sentido de não desistirem da nossa terra e de continuarem a acreditar que a valia das capacidades e integridade individuais representam mais do que a de outros que, eventualmente, se sujeitam a transaccionar o desmérito que possuem na troca de aceitarem içar uma bandeira partidária.

Nós estamos cá, para continuar a lutar contra estas falsas democracias, pelos excluídos, pelos mais frágeis, pelos desempregados, pelos jovens, pelos idosos, pelos agricultores, pelos comerciantes, pelo território, enfim, estamos cá pela verdade e pelo melhor para todos.

Na próxima, diga não às maiorias!

Comentários
Loading...