Plataforma digital de comunicação multimédia para a promoção e divulgação do concelho de Alijó. Espaço cívico de debate, de informação, de opinião plural e de defesa dos interesses concelhios.

De nossa casa para o mundo

Esta casa é quente e sabe a frutos secos. Conforta a alma, enquanto o corpo descansa

0 808
Helena Castro

Natural de Alijó. Jornalista, blogger e ativista

+ artigos

O que se escreve quando o tema é a nossa casa?

O berço de tantas paixões, convicções, sonhos e também, evidentemente, desilusões.

A vida faz-nos ricos porque vivemos cada uma destas emoções. E ainda mais quando se tornam recordações. Melhor que isso. São as tuas bases. As tuas referências. Os teus pontos de partida.

Este berço que partilhamos que não é o de Portugal mas é o de tanto que representa a alma do que é ser português.

Esta casa é quente e sabe a frutos secos. Conforta a alma, enquanto o corpo descansa.

Daqui quantos de nós saímos para o resto do mundo?

E depois voltamos. Pela e para a família.

No frio cortante ou no calor sufocante.

Vamos sem nunca partir verdadeiramente. Sem nunca estar ausente. Porque a nossa essência é destes montes que bebe.

Um número significativo de alijoenses foi. Fez e faz vida noutras paragens. Umas mais longínquas que outras. Porto e Lisboa. Que cidades grandes quando comparadas à nossa vila. Mas não é que abrigam nelas tantos dos rostos que cresceram connosco?

Quando vamos nunca estamos sós.

As memórias vão connosco. E, ainda que o convívio nunca tenha acontecido antes, ali, naquela cidade, vai ser uma inevitabilidade. Vais sorrir. Dizer olá. Ou simplesmente voltar. Ao talho. Ao supermercado. Ao banco ou à escola.

As caras conhecidas que vieram da vila, fazem mais tua a tua nova cidade.

E nas redes sociais, a socialização expande a tua lista de “amigos”. Se é da tua terra, adicionas. E o teu gruo cresce. Como o teu coração. Porque estás de volta.

A este lugar que nos viu crescer. E que cresce connosco, estejamos onde estivermos. Os pais orgulham-se dos filhos que vão à conquista. E (e)levam o seu nome.

Alijó está aqui. Sim, contigo. Comigo. Com todos os que vivem e viveram nela.

E nesta porta que eu e outros abrimos quando saímos, é por onde passam tantos outros que entram. Para casar, para constituir família, para tratar dos negócios dos que já só moram no nosso coração ou para visitar.

Cada um, em cada lugar que é seu, põe um pouco daquilo que é de todos nós.

Porque é de origens que falamos, não podiam aqui faltar os desejos para o futuro.

Que neste ano que se avizinha, Alijó possa ser um concelho cada vez mais forte. Em oportunidades. Para segurar todos os que se recusam sair e abdicar de chamar a esta a sua única casa. Em passado. Porque cuidar dos mais velhos é não permitir que a nossa história se
apague. Em projectos. Porque só o sonho faz o homem construir. Em visão. Para que todos possamos partilhar de cada sucesso.

Alijó on line é uma ideia arrojada. Que seja bem conduzida e muito participada.

Deste lado da janela, nós (os que fomos) agradecemos tanto ver este postal atualizado!

Comentários
Loading...